terça-feira, 17 de novembro de 2009

E a Alice seguiu o coelho...

video




E lá dentro, a princípio, o caminho era a direito, como um túnel, mas depois, de repente,havia uma descida tão pronunciada que Alice nem teve tempo de pensar em parar senão quando deu consigo a cair num poço muito fundo. Ou o poço era muito fundo ou ela caiu muito devagar, pois teve ocasião de olhar à sua volta e interrogar-se sobre o que iria passar-se a seguir...

In “Alice no País das Maravilhas” Lewis Carroll



video

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A Alice que eu sou

a consciência do ser que sou
não me faz mais nem melhor...
é apenas a oportunidade de fazer da minha vida
a maior das aventuras da minha existência

e estes são alguns fragmentos da sua beleza efémera...

video

sábado, 7 de novembro de 2009

Os loucos do caminho da Alice

“Gatinho de Cheshire”
começou, muito timidamente, por não saber se ele gostaria desse tratamento.
Ele, porém, apenas alargou um pouco mais o sorriso.
“Ótimo, até aqui está contente”
pensou Alice. E prosseguiu:
“Você poderia me dizer, por favor, qual o caminho para sair daqui?”
“Depende muito de onde você quer chegar”
disse o Gato.
“Não me importa muito onde...”
foi dizendo Alice.
“Nesse caso não faz diferença por qual caminho você vá”
disse o Gato.
“...desde que eu chegue a algum lugar”
acrescentou Alice, explicando.
“Oh, esteja certa de que isso ocorrerá”falou o Gato
“desde que você caminhe o bastante.”

Alice percebeu que era impossível negar isso
então arriscou outra pergunta:
Que tipo de gente vive por aqui?”
“Naquela direção”
disse o Gato, ondulando sua pata direita,
“mora um Chapeleiro; naquela outra”
agitando a outra pata,
“mora uma Lebre de Março. Visite ou um ou outro: ambos são loucos.”
“Mas eu não quero me encontrar com gente louca”
observou Alice.
“Oh, não se pode evitar”
disse o Gato
“todos são loucos por aqui. Eu sou louco. Você é louca.”
“Como sabe que eu sou louca?”

indagou Alice.
“Você deve ser, ou então não teria vindo”
respondeu o Gato

in "Alice no País das Maravilhas", de Lewis Carrol

São várias as personagens loucas que se cruzam no caminho da Alice que a ajudam a descobrir-se...
Que louco és tu nesta história?
O que tens para lhe mostrar da vida e do mundo?

terça-feira, 3 de novembro de 2009

aliciante

... Ardendo de curiosidade, começou a correr pelo campo, atrás dele, felizmente mesmo a tempo de o ver desaparecer no interior de uma grande toca que havia debaixo da sebe.
No mesmo instante, Alice desceu atrás dele, sem pensar sequer como poderia voltar a sair.
Lá dentro, a príncipio, o caminho era a direito, como um túnel, mas depois, de repente, havia uma descida tão pronunciada que Alice nem teve tempo de pensar em parar senão quando deu consigo a cair num poço muito fundo.
Ou o poço era muito fundo ou ela caiu muito devagar, pois teve ocasião de olhar à sua volta e interrogar-se sobre o que iria passar-se a seguir...

In “Alice no País das Maravilhas” Lewis Carroll

video

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Os gritos da Alice

























“ E, de facto havia, lá dentro um grande reboliço – berros e espirros constantes, e de vez em quando um grande estrondo, como se um prato ou um bule se tivessem partido em cacos.”
(…)
“ - Oh, por favor, veja lá o que está a fazer! – gritou Alice aos pulos, completamente aterrorizada. – Ou então lá se vai o lindo nariz da criança! – disse ela, ao ver uma panela enormíssima rasar o nariz do bebé quase o arrancando.”

In “Alice no País das Maravilhas”

Que confusão que reina lá dentro. “É de dar em doida!” – comentou Alice.

Inspire-se no ambiente que se está a viver ‘lá dentro’ tomando como ponto de partida três palavras-chave: grito e mais duas palavras à sua escolha.
Desenvolva um projecto para um objecto cerâmico inspirado no conceito que vai construir.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O lugar em que a Alice se perde e se encontra























... Ela já ia saindo do quarto quando seus olhos toparam com uma garrafinha que estava perto do espelho.
Dessa vez, não havia nenhum rótulo com os dizeres “BEBA-ME”;
não obstante, ela destapou a garrafa e levou-a à boca.

“Eu sei que algo interessante sempre acontece”, disse consigo, “quando eu como ou bebo alguma coisa: só quero ver o que esta garrafa faz.
Espero crescer de novo, pois estou realmente cansada de ser uma coisinha tão pequena!”

Os objectos do mundo da Alice são mágicos...

Ao longo da história a Alice entra e sai de diferentes espaços, manuseia diferentes objectos...
umas vezes torna-se pequena face a um mundo gigantesco...
e outras tantas vezes fica enorme face a um mundo de bonecas...

Mas há um lugar que vais criar e que irá permanecer constante: um cubo... umas vezes objecto mágico e poderoso, outras, um lugar de refúgio dos teus (dela) sonhos e angústias.

Inspira-te nas sensações e estados de espírito que animam a Alice..

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Quem és tu?


















Quem sou eu, então?


Respondam-me primeiro
e então, se eu gostar de ser essa pessoa, voltarei
se não, ficarei aqui embaixo até que eu seja outra


Mas, oh, meu Deus!


gritou Alice, com uma explosão repentina de lágrimas


Como eu gostaria que eles pusessem a cabeça aqui embaixo!
Estou tão cansada de ficar sozinha aqui!


in Alice no País da Maravilhas, de Lewis Carrol

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Um Segredo...
























Pelas palavras que lês neste texto
uma parte de mim desaparece em ti...

Deixo de ser quem sou
e passo a ser o ser que tu és

Em ti encontro o abrigo que me fará vida
para além da vida que até agora consegui

Se quiseres saber quem sou eu
olha para o que de ti se esconde no reflexo da tua imagem

Se quiseres saber quem tu és
olha para as imagens que de mim agora escondes em ti
sem que disso te dês conta...

Pelo país das maravilhas iremos os dois passear
animados de uma missão...
eu... irei divertir-me
tu... irás descobrir-te e dar-te a conhecer... dar-me a conhecer...

Ajudas-me a recuperar a minha imagem perdida?

Alice... a Maravilhosa